sábado, 13 de maio de 2017

Mãe somente na palavra



Os anos passavam e Maurício ficava cada vez mais triste e decepcionado com as relações que teve com algumas mulheres, pois ele era verdadeiro e transparente.
Nesse tempo sua única companhia no dia a dia era a sua mãe, que cuidava desde trocar uma lâmpada até ficar de vigília até de manhã cedo para saber se ela dormia bem ou tivesse algum problema de saúde.
Morando em uma nova casa de volta ao bairro onde tinha sido criado, Maurício fica vidrado em uma menina que morava no prédio ao lado que se exibia, mas com tempo depois de conhecê-la, se decepciona de novo.
Durante alguns dias e meses. Maurício ficava pela casa triste e sem animação,se estressando com sua mãe que durante anos nunca quis saber se os filhos estavam tristes ou felizes ou se precisavam de alguma ajuda ou como estavam e reclamou um dia:
-A senhora fala que só fico estressado e nervoso, mas nunca quis saber o que estava sentido ou pensando!
-Sim porque não está sendo fácil de te aturar! Disse sua mãe
-e eu? Acho que consigo aturar uma pessoa que nunca quis saber se eu estou triste ou se precisa de algo? Ao contrário só me cobra todos os dias!
-Se é amor que você quer você precisa arrumar alguém para namorar porque eu não posso fazer isso, disse a sua mãe.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

A fruta podre da família



Verão forte e escaldante no Rio de Janeiro e Lúcio vai até a geladeira para comer uma fruta e percebe uma tangerina podre e pega para jogar no lixo até seu pai chegar e perguntar:
- O que você está fazendo?
-Eu queria comer uma fruta e achei essa tangerina podre e vou jogar no lixo, por quê?
O pai pega a fruta do Lúcio e ainda bate nele com um tapa falando:
-Você é rico? Ainda pode se aproveitar
E o pai come uma parte da tangerina podre e Lúcio enojado fala:
-Pai você vai comer isso? A fruta está podre!
-O podre é você aqui!

quinta-feira, 20 de abril de 2017

A Atitude Cabeluda



Anos 90 vieram esperançosos para o jovem Alberto que não tinha menor saudade dos anos 80 por não gostar das músicas e moda, mas a realidade não é nada boa para ele que tinha perdido sua primeira paixão, a descoberta do amor por uma menina e como tinha terminado a escola não sabia que rumo tomar, pois tudo que sabia fazer era a música.
Mas um novo estilo surge batendo a porta de sua mente com os rangidos da guitarra do Kurt Cobain do Nirvana mostrando toda a sua angustia e raiva e Alberto vê aquilo como uma identificação e começa a usar calça jeans velha rasgada com camisas de flanela, era o grunge.
Mas faltava algo para completar seu estilo, quando viu um vocalista da banda Deep Purple chamado Ian Gillan cantando com toda força exibindo longos cabelos e isso foi o que despertou Alberto.
-Nossa! Que cara foda!Como canta!Eu posso ter um cabelo desses!Eu vou deixar o meu crescer e vai ficar igual!É isso e tem haver comigo!
Meses passam e o cabelo de Alberto vai ficando cada vez mais comprido contra a vontade de seu pai, conversador e retrógado que cada vez mais ficava incomodado.
-Vai cortar essa juba quando?
Alberto nem ligou e o cabelo já passava do ombro, quando escutou seu pai falar na mesa da cozinha com sua esposa.
-Cabelo comprido que nem uma mulher, só falta andar de vestido!
Alberto inconformado com que seu pai disse vai até o quarto da mãe e pega vestido e use com brincos enormes entrando na cozinha falando de forma mais feminina.
-Mamãe!Mamãe! Bota-me a comida na mesa que eu quero comer!
Seu pai horrorizado ver aquilo, mas como uma provocação, era Alberto mostrando sua rebeldia como resposta a seu pai só ligava para o que ele pensava e desejava sem saber da opinião do filho.
Dois anos passam seu pai ver com orgulho seu filho trabalhando duro na lanchonete que ele comprou para ajudar Alberto e mostra que mesmo com cabelo comprido debaixo do boné que o que importa é se sentir bem respeitando sua vontade.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Tudo que você precisa é amor



Manhã de sol na pequena cidade com pai vendo seu filho na porta jogando bola quando Betinho vem suado e ofegante falar com seu pai:
-Você viu pai o gol que eu fiz ?
-Sim você vai ser um bom jogador se continuar assim ?
-mas eu quero ser rico e ter muito dinheiro para ter o que quiser!
Fechando a cara, o pai pede para seu filho Betinho sentar e conta uma história:
-Senta que não é bem assim vou ter contar sobre o nosso vizinho seu José, ele é dono de metade das casas aqui, tem carro, viajou para vários lugares, comprou roupas e se divertiu muito. Sempre tem a geladeira cheia mas é triste porque falta algo...
Betinho estranhando diz:
-Como é? Triste? Falta algo?Pai, como alguém assim pode sentir falta de alguma coisa?
-Eu sempre estou se apoiando e ajudando e dando carinho certo?
-Sim pai!
-E sua, mãe te enche de beijos e te abraça mas seu Zé não teve um pai e uma mãe bons como temos sido com você.
-O pai ou a mãe batiam nele?
-O pai sim, mas a mãe não porque ela nunca queria saber se ele estava triste ou feliz ou queria alguma ajuda, pois pensava em si própria e não nos filhos.
-mas ele não tem namorada?
-Teve, mas sempre ser decepciona porque não encontra o que falta a ele?
-o que?
-Amor e carinho. Betinho....você é adorado por mim e sua mãe mas ele nunca se sentiu querido.
-E como é isso?
-Carência é igual a um estômago vazio, se comer algo ruim o estômago dói, mas cura, se comer algo bom vai ter fazer bem, mas quando não parece nada para comer e por anos o estômago fica vazio e você fica doente e enfraquece perdendo as forças, por isso que o amor é algo bom porque é a única coisa verdadeira que ganhará aqui nessa vida, o resto que você conquistou você perderá tudo um dia quando morrer.Então Betinho,não adianta ter tudo se o principal não tem,porque não se vive direito que nem uma máquina,sem energia a máquina não funciona.
-Ai nossa, pai não quero ficar igual ao seu José!
-Então faça o que gosta e seja feliz o resto virá naturalmente se for bom como você é no futebol ou na escola.

domingo, 2 de abril de 2017

A redenção na hora certa



Depois de 23 anos de brigas e desentendimentos com seu pai, Bruno sente que a maré começar a mudar e fica mais calmo para seu lado.
Seu pai, que passou anos trabalhando atrás de um balcão de padaria sonhava ver o filho ser militar ou um advogado, mas Bruno tinha outros desejos e seu amor pela música onde seu pai não aceitava.
Certo dia, Bruno iria se apresentar em uma escola para fazer um show com sua guitarra, amplificador, violão, pedais e roupas tudo pronto quando seu pai chegou para falar:
-Quer uma carona? Vou para o trabalho e te deixo lá?
Bruno com um sorriso surpreso e novo aceitou e seu pai deixou o na porta da escola para o show onde ele fez para poucas pessoas.
Uns meses depois, seu pai tinha arrumado uma única passagem para Portugal onde ele iria fechar a venda de uma casa e um carro e voltar para casa, pois a sua esposa não queria ir morar lá sem sua filha que tinha saído de casa.
E a noite, seu pai chamou seu filho Bruno para ensinar como se ganhava a vida nos negócios mostrando todos os detalhes e pedindo que se presta atenção.
No fim seu pai disse:
-Filho... vou viajar e você vai cuidar para mim isso,eu confio em você!Não me decepcione como sua irmã me decepcionou
E o Bruno deu a sua palavra que iria honrar o legado do seu pai.
Um ano antes, seu pai comprou uma parte em uma lanchonete para seu filho trabalhar e garantir-se em sua vida, pois a música ainda apenas um sonho e Bruno via que não era fácil.
Subindo as escadas, seu pai viu o seu filho Bruno sujo raspando e cortando cana para vender o suco, fazendo várias funções na lanchonete e enquanto os filhos dos outros sócios só esquentavam a cadeira e reclama:
-Seu Joaquim e seu Antônio, meu filho faz tudo e trabalha muito e os seus nada fazem?
No meio das discussões, Bruno era o único com um sorriso largo vendo seu pai pela primeira vez na sua vida com 24 anos, defendendo o.
O dia chegou, seu pai como de costume, se levanta cedo e acorda o filho para abrir a lanchonete e ainda preparou o café.
Antes de sair, seu pai fala com seu filho Bruno:
-Bem, você vai trabalhar e eu vou viajar para fechar a venda lá em Portugal, mas volto logo.
Então Bruno e seu pai se despedem com um abraço dizendo ao seu filho.
-Até a volta filho!
Em Portugal, seu pai morre depois de passar mal e a tristeza de Bruno fica marcada, pois durou 1 ano essa amizade que não existia antes e se lembrar de depois de 20 anos que esse foi o primeiro e único abraço que teve de seu pai, mas o alívio da sua redenção.

Mãe somente na palavra

Os anos passavam e Maurício ficava cada vez mais triste e decepcionado com as relações que teve com algumas mulheres, pois ele era verd...