sábado, 13 de maio de 2017

Mãe somente na palavra



Os anos passavam e Maurício ficava cada vez mais triste e decepcionado com as relações que teve com algumas mulheres, pois ele era verdadeiro e transparente.
Nesse tempo sua única companhia no dia a dia era a sua mãe, que cuidava desde trocar uma lâmpada até ficar de vigília até de manhã cedo para saber se ela dormia bem ou tivesse algum problema de saúde.
Morando em uma nova casa de volta ao bairro onde tinha sido criado, Maurício fica vidrado em uma menina que morava no prédio ao lado que se exibia, mas com tempo depois de conhecê-la, se decepciona de novo.
Durante alguns dias e meses. Maurício ficava pela casa triste e sem animação,se estressando com sua mãe que durante anos nunca quis saber se os filhos estavam tristes ou felizes ou se precisavam de alguma ajuda ou como estavam e reclamou um dia:
-A senhora fala que só fico estressado e nervoso, mas nunca quis saber o que estava sentido ou pensando!
-Sim porque não está sendo fácil de te aturar! Disse sua mãe
-e eu? Acho que consigo aturar uma pessoa que nunca quis saber se eu estou triste ou se precisa de algo? Ao contrário só me cobra todos os dias!
-Se é amor que você quer você precisa arrumar alguém para namorar porque eu não posso fazer isso, disse a sua mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Procurando Ana Cristina na Rua Alice

Fim de tarde de domingo tranquila e Adalberto sai de casa para ir à Igreja Cristo Redentor para encontrar os amigos do grupo jovem de te...